Artistas

Carmelo Arden Quin

  1. 1913

    • Carmelo Arden Quin, pintor, escultor e poeta, nascido em Rivera, Uruguai
  1. 1922

    • Latin American Artists in the Twentieth Century, MOMA, New York
    • Sala Especial de Arden Quin, Centre Georges Pompidou, Paris
  1. 1935

    • Aos 21 anos, Carmelo Arden Quin conheceu em Montevidéu o mestre do construtivismo Joaquin Torres Garcia, que retornava ao Uruguai, após 43 anos de ausência, com prestígio consolidado na vanguarda de Paris onde fez parte do círculo de Mondrian, Klee, Kandinsky, Michel Seuphor, com quem fundou a revista Cercle et Carré
    • A convivência e o conhecimento transmitido por Torres Garcia, através de seus escritos e conferências, foi fundamental para o desenvolvimento da obra de Arden Quin
  1. 1936

    • Ao longo de sua vida, expôs individualmente e em conjunto com o grupo Madi, em galerias e museus da Europa, Estados Unidos e América Latina
  1. 1938

    • Mudou-se para Buenos Aires, integrando um grupo de pintores e escritores da vanguarda argentina
  1. 1944

    • Idealiza o projeto para uma da revista de arte abstrata, e é publicado seu único número, Arturo, com textos e poemas de Arden Quin, Bayley, Kosice, Rothfuss, Murilo Mendes e Torres Garcia, com reproduções das obras de Kandinsky, Mondrian, Torres Garcia, e Vieira da Silva
  1. 1946

    • Foi um dos fundadores em Buenos Aires do Movimento Madi, um dos mais importantes movimentos artísticos da América Latina, que antecedeu aos movimentos do Concretismo e do Neo-Concretismo no Brasil
    • Foi organizada a primeira exposição Madi, no Insitut Français d'Etudes Supérieures de Buenos Aires. O movimento nasceu com um manifesto de Arden Quin postulando, entre outras coisas, que a geometria mantém o Universo e que o formato como a forma total deve ser uma criação única
    • Madi aboliu o quadro, o fez parte essencial da forma da obra. Os participantes deste evento afirmavam a universalidade e afinidades de sua estética nas diferentes expressões da criação da vanguarda; nas artes plásticas, arquitetura, poesia, música e dança
    • O nome MADI é uma invenção, sendo regra do movimento: geometria, poligonalidade, abstração, movimento, espaço e cor, com total liberdade para a utilização de formas geométricas irregulares
    • Participaram desta manifestação os artistas plásticos, Arden Quin, Rothfuss, Martin Blaszko e Kosice, além de músicos e bailarinos
  1. 1948

    • Arden Quin parte para Paris onde se instala definitivamente. Neste ano participa do Salon de Réalités Nouvelles, onde o conjunto da representação MADI de Buenos Aires teve grande repercussão
  1. 1949

    • Ocorre um encontro determinante entre Arden Quin e Vantongerloo
  1. 1950

    • O movimento Madi se reconstitui em Paris, a Galerie Colette Allendy, apresenta Les Madis
  1. 1951

    • O Centro de Estudo e Pesquisa Madi, funciona em Paris, instalado no ateliê de Carmelo Arden Quin, com a participação de artistas latino- americanos e franceses
  1. 1953

    • Arden Quin, participa na Galerie Denise Rene, em Paris, da exposição Diagonale, juntamente com Arp, Le Corbousier, Magnelli e Picabia
    • Participa da mostra Artistas Modernos Argentinos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Stedelijk Museum, Amsterdam
    • Participa da Segunda Bienal Internacional de São Paulo, 1953, e entra em contato com os representantes do concretismo paulista
  1. 1968

    • Art d'Amerique Latine
  1. 1987

    • Bienal Internacional de São Paulo
  1. 1997

    • Arte Madi, Museu Nacional Reina Sofia, Madri
  1. 2003

    • Foi inaugurado o Madi Museum, Dallas, Texas, EUA
  1. 2005

    • Participa da exposição “1950-1975, Musée d’ArtModerne et Contemporain de Strasbourg
  1. 2007

    • Arden Quin - Mostra Retrospectiva, Galerie Drouart, Paris
  1. 2008

    • Mouvement Madi International, Maison de L'Amerique Latine, Paris
  1. 2010

    • Carmelo Arden Quin, Mostra Retrospectiva, Centro Cultural de Espanã, Montevidéu
    • Faleceu em Savigny sur-Orge, nos arredores de Paris, onde viveu nas últimas décadas
  1. 2014

    • Modernités Plurielles 1905-1970, Centre Georges Pompidou, Paris
Coleções
    • Tate Modern
    • MoMA
    • Centre Georges Pompidou
    • The Museum of Fine Arts
    • MALBA
    • Musée d´Art Moderne de Strasbourg
    • Daros Latinoamerica
    • Museu de Arte Moderna de São Paulo
    • Fundacion Cisneros